Interatividade.

Com tudo o que a tecnologia oferece hoje em dia, aprender a manuseá-la não é uma tarefa maçante como era há algumas décadas atrás. Tudo isso graças à interatividade cada vez mais presente em aparelhos e entre aparelhos. Vídeos, músicas, animações, comunicação real com pessoas distantes e, principalmente, as possibilidades de juntar isso tudo em uma única ação. Agora, com mais novidades surgindo, aquele futuro de A Day Made in Glass, já não parece mais tão distante.

Uma delas, e talvez a que mais abre possibilidades para pensarmos, é o Push Pop Press. Uma plataforma de publicação digital que permite a criação de livros no formato de aplicativos para iPad e iPhone. Nele, o leitor tem a possibilidade de arrastar, ampliar e interagir com o conteúdo. Não temos apenas imagens, temos vídeos, sons, gráficos animados – que os tornam muito mais interessantes – e a possibilidade de acompanhar os capítulos de uma forma diferente da que estamos acostumados. Mais do que representar uma nova geração de livros digitais, toda essa possibilidade de interação pode ir muito além: livros nunca mais serão os mesmos. Crianças nas escolas, aprendendo com livros onde todo o conteúdo pode ser interligado com os mais variados assuntos, representa uma ampliação de conhecimento limitada apenas pela própria curiosidade do aluno. As páginas de um livro de ficção podem ser tão interessantes e reais quanto uma tela de cinema. Problemas de leituras complicadas serão considerados arcaicos, pois qualquer dúvida pode ser sanada por uma consulta imediata às explicações disponíveis nos meios digitais.

Para que haja um futuro como aquele feito de vidro, primeiramente as mentes precisam ser desenvolvidas para pensar e projetar tal futuro. E, estamos no caminho certo, não?

O criador do softwareMike Matias, fez uma demonstração no TED do primeiro livro interativo criado nesta plataforma. Confira a apresentação e veja na prática as suas possibilidades:

Via Ux.blog